...
quarta-feira ,19 junho 2024
Home / Saúde / Anvisa recebe pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac

Anvisa recebe pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac

Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
© Mar­ce­lo Camargo/Agência Bra­sil

Solicitação foi feita pelo Instituto Butantan

Publi­ca­do em 08/01/2021 — 11:53 Por Heloi­sa Cris­tal­do — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Bra­sí­lia

A Agên­cia Naci­o­nal de Vigi­lân­cia Sani­tá­ria (Anvi­sa) rece­beu hoje (8) o pedi­do de auto­ri­za­ção tem­po­rá­ria de uso emer­gen­ci­al, em cará­ter expe­ri­men­tal, da vaci­na Coro­na­Vac. A soli­ci­ta­ção foi fei­ta pelo Ins­ti­tu­to Butan­tan, que con­duz os estu­dos da vaci­na con­tra a covid-19 desen­vol­vi­da pela empre­sa Sino­vac no Bra­sil.

De acor­do com a agên­cia regu­la­do­ra, a tri­a­gem dos docu­men­tos pre­sen­tes na soli­ci­ta­ção e da pro­pos­ta de uso emer­gen­ci­al que o labo­ra­tó­rio pre­ten­de fazer já foi ini­ci­a­da. A meta da Anvi­sa é fazer a aná­li­se do uso emer­gen­ci­al em até dez dias, des­con­tan­do even­tu­al tem­po que o pro­ces­so pos­sa ficar pen­den­te de infor­ma­ções, a serem apre­sen­ta­das pelo labo­ra­tó­rio.

“As pri­mei­ras 24 horas serão uti­li­za­das para fazer uma tri­a­gem do pro­ces­so e che­car se os docu­men­tos neces­sá­ri­os estão dis­po­ní­veis. Se hou­ver infor­ma­ção impor­tan­te fal­tan­do, a Anvi­sa pode soli­ci­tar as infor­ma­ções adi­ci­o­nais ao labo­ra­tó­rio. O pra­zo de dez dias não con­si­de­ra o tem­po do pro­ces­so em sta­tus de exi­gên­cia téc­ni­ca”, infor­mou a agên­cia.

Análise

Para fazer a ava­li­a­ção, a Anvi­sa vai uti­li­zar as infor­ma­ções apre­sen­ta­das jun­to com o pedi­do e tam­bém os dados já ana­li­sa­do por meio da Sub­mis­são Con­tí­nua. A aná­li­se do pedi­do de uso emer­gen­ci­al é fei­ta por uma equi­pe mul­ti­dis­ci­pli­nar e envol­ve espe­ci­a­lis­tas das áre­as de regis­tro, moni­to­ra­men­to e ins­pe­ção.

Segun­do a Anvi­sa, a equi­pe res­pon­sá­vel pela aná­li­se vem atu­an­do de for­ma inte­gra­da, com as ações oti­mi­za­das e acom­pa­nha­das pela comis­são que envol­ve três dire­to­ri­as da agên­cia.

Aquisição da vacina

Ontem (7), o Minis­té­rio da Saú­de anun­ci­ou a assi­na­tu­ra de con­tra­to com o Ins­ti­tu­to Butan­tan para adqui­rir até 100 milhões de doses da vaci­na Coro­na­Vac para este ano.

O con­tra­to envol­ve a com­pra ini­ci­al de 46 milhões de uni­da­des, pre­ven­do a pos­si­bi­li­da­de de reno­va­ção com a aqui­si­ção de outros 54 milhões de doses pos­te­ri­or­men­te. Esse mode­lo foi ado­ta­do pelo minis­té­rio pela fal­ta de orça­men­to para comer­ci­a­li­zar a inte­gra­li­da­de das 100 milhões de doses. O Ins­ti­tu­to Butan­tan anun­ci­ou que a efi­cá­cia da vaci­na é de 78%.

Edi­ção: Kle­ber Sam­paio

Agên­cia Bra­sil / EBC


Você pode Gostar de:

Rio Grande do Sul investiga mais de 800 casos de leptospirose

Repro­du­ção: © Rafa Neddermeyer/Agência Bra­sil Estado registra 54 casos da doença e quatro mortes confirmadas …