...
terça-feira ,18 junho 2024
Home / Noticias do Mundo / Após dar à luz, brasileira é autorizada a deixar a Faixa de Gaza

Após dar à luz, brasileira é autorizada a deixar a Faixa de Gaza

Repro­du­ção: © Escri­tó­rio do Bra­sil na Ramala/Divulgação

Agora, elas e os filhos estão em Rafah, perto do Egito


Publi­ca­do em 07/02/2024 — 10:33 Por Lucas Por­deus León — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Bra­sí­lia

ouvir:

Após dar à luz na vés­pe­ra de natal, uma mulher bra­si­lei­ra e seus três filhos (foto) foram auto­ri­za­dos a dei­xar a Fai­xa de Gaza nes­ta quar­ta-fei­ra (7). A famí­lia foi incluí­da na lis­ta de pes­so­as per­mi­ti­das a dei­xar a região de guer­ra no Ori­en­te Médio.

Ago­ra, todos eles estão abri­ga­dos na cida­de de Rafah, per­to da fron­tei­ra com o Egi­to, em uma resi­dên­cia alu­ga­da pelo gover­no bra­si­lei­ro e têm rece­bi­do recur­sos para com­pra de água, ali­men­tos e remé­di­os.

Segun­do infor­mou o Escri­tó­rio de Repre­sen­ta­ção do Bra­sil em Rama­la, na Pales­ti­na, a mulher, cuja iden­ti­da­de não foi infor­ma­da, e os filhos de qua­tro e dois anos não podi­am sair por­que ela esta­va grá­vi­da. Depois que a cri­an­ça nas­ceu, no últi­mo dia 24 de dezem­bro, a auto­ri­za­ção pôde ser emi­ti­da.

“Todos são bina­ci­o­nais (bra­si­lei­ros-pales­ti­nos) e já esta­vam nas lis­tas ante­ri­o­res, mas a mãe não pôde via­jar por­que esta­va grá­vi­da. Ago­ra, o recém-nas­ci­do foi adi­ci­o­na­do”, infor­mou o embai­xa­dor Ales­san­dro Can­de­as, repre­sen­tan­te do Bra­sil em Rama­la.

A expec­ta­ti­va da diplo­ma­cia bra­si­lei­ra é que a famí­lia con­si­ga sair de Gaza nes­ta quin­ta-fei­ra (8) rumo ao Cai­ro, capi­tal do Egi­to. Em segui­da, todos devem embar­car em um voo comer­ci­al para o Bra­sil.

Os últi­mos bra­si­lei­ros que dei­xa­ram a Fai­xa de Gaza che­ga­ram ao Bra­sil no últi­mo dia 22 de dezem­bro. Foram rea­li­za­das três ope­ra­ções coor­de­na­das pelo Bra­sil para reti­rar naci­o­nais do encla­ve pales­ti­no. Ao todo, 141 bra­si­lei­ros e paren­tes con­se­gui­ram dei­xar a zona de guer­ra com des­ti­no ao Bra­sil.

Vivendo numa tenda

Ape­sar da auto­ri­za­ção des­ta quar­ta-fei­ra, ain­da há bra­si­lei­ros na Fai­xa de Gaza que aguar­dam auto­ri­za­ção para sair de lá. O bra­si­lei­ro Jamal You­sef Tem­raz, de 32 anos, está viven­do em uma ten­da jun­to com pales­ti­nos. A famí­lia dele já con­se­guiu sair de Gaza e veio para o Bra­sil, mas ele não con­se­guiu auto­ri­za­ção para dei­xar a região.

Brasília (DF) 07/02/2024 - Apesar da autorização desta quarta-feira, ainda há brasileiros na Faixa de Gaza que aguardam autorização para deixar o local. O brasileiro Jamal Yousef Temraz, de 32 anos, está vivendo em uma tenda junto com outros palestinos. A família dele já conseguiu sair de Gaza para o Brasil, mas ele ainda não conseguiu autorização para deixar a região.Frame Jamal Yousef Temraz/Divulgação
Repro­du­ção: O bra­si­lei­ro Jamal You­sef Tem­raz, de 32 anos, vive em uma ten­da jun­to com outros pales­ti­nos — Divul­ga­ção — Jamal You­sef Tem­raz

“Minha famí­lia está fora de Gaza, mas eu não con­se­gui [sair] até ago­ra. Minha espo­sa foi machu­ca­da por cau­sa da guer­ra, meu filho tem autis­mo. Minha famí­lia foi para o Bra­sil, mas até ago­ra eu não con­se­gui por cau­sa da guer­ra”, afir­mou Jamal, em vídeo envi­a­do à repor­ta­gem da Agên­cia Bra­sil.

O pales­ti­no natu­ra­li­za­do bra­si­lei­ro ape­la para que o gover­no do Bra­sil con­si­ga auto­ri­za­ção para ele dei­xar o local. “Aqui não há segu­ran­ça, comi­da não está bem, não tem água, todo dia, toda hora tem bom­ba”, lamen­tou.

A repor­ta­gem ques­ti­o­nou a repre­sen­ta­ção do Bra­sil na Pales­ti­na sobre a situ­a­ção de Jamal Tem­raz. O escri­tó­rio em Rama­la infor­mou que vai veri­fi­car a situ­a­ção des­se bra­si­lei­ro. O Ita­ma­raty moni­to­ra ain­da 19 outros bra­si­lei­ros em Gaza. “Qua­se todos já tive­ram auto­ri­za­ção, mas não pude­ram sair por diver­sos moti­vos”, infor­mou o embai­xa­dor Can­de­as.

Edi­ção: Kle­ber Sam­paio

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Brasil repudia massacre de palestinos famintos: “situação intolerável”

Repro­du­ção: © Fotos REUTERS/Shadi  Taba­ti­bi Em nota, Itamaraty diz que ação não tem qualquer limite …