...
segunda-feira ,17 junho 2024
Home / Justiça / Barroso nega crise entre Supremo e Congresso

Barroso nega crise entre Supremo e Congresso

Repro­du­ção: © Val­ter Campanato/Agência Bra­sil

Presidente do STF disse que pretende dialogar com o Legislativo

Publicado em 29/09/2023 — 17:31 Por André Richter — Repórter da Agência Brasil — Brasília

ouvir:

O pre­si­den­te do Supre­mo Tri­bu­nal Fede­ral (STF), Luís Rober­to Bar­ro­so, negou nes­ta sex­ta-fei­ra (29) que exis­ta uma cri­se ins­ti­tu­ci­o­nal entre a Cor­te e o Con­gres­so em fun­ção de deci­sões recen­tes, como o mar­co tem­po­ral para demar­ca­ção de ter­ras indí­ge­nas.

Na pri­mei­ra cole­ti­va de impren­sa após tomar pos­se, Bar­ro­so dis­se que a Cons­ti­tui­ção bra­si­lei­ra cui­da de diver­sas ques­tões, como saú­de, edu­ca­ção, pro­te­ção do meio ambi­en­te, cri­an­do “super­po­si­ções” do Judi­ciá­rio sobre maté­ri­as polí­ti­cas. Con­tu­do, o pre­si­den­te negou inter­fe­rên­cia do STF nas atri­bui­ções do Con­gres­so.

Nes­ta sema­na, após o Supre­mo fina­li­zar o jul­ga­men­to e vetar a apli­ca­ção do mar­co tem­po­ral, por 9 votos a 2, o Sena­do apro­vou o mar­co. A apro­va­ção ocor­reu no mes­mo dia do jul­ga­men­to pelo ple­ná­rio da Cor­te.

“Pre­ten­do dia­lo­gar com o Con­gres­so de uma for­ma res­pei­to­sa e ins­ti­tu­ci­o­nal, como deve ser. Sin­ce­ra­men­te, eu diria que não há cri­se. O que exis­te, como em qual­quer demo­cra­cia, é a neces­si­da­de de rela­ções ins­ti­tu­ci­o­nais fun­da­das no diá­lo­go”, afir­mou.

O pre­si­den­te tam­bém defen­deu a nome­a­ção de mulhe­res para car­gos no Judi­ciá­rio, mas evi­tou comen­tar a indi­ca­ção que o pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lula da Sil­va deve­rá fazer para a vaga dei­xa­da pela minis­tra Rosa Weber.

“Eu defen­do a femi­ni­li­za­ção dos tri­bu­nais de uma manei­ra geral. Mas, essa é uma prer­ro­ga­ti­va do pre­si­den­te [Lula]”, com­ple­tou.

Marco Temporal

Sobre o mar­co tem­po­ral, Bar­ro­so dis­se que o Con­gres­so pode­rá ter a últi­ma pala­vra sobre a ques­tão se a apro­va­ção do mar­co não ferir uma cláu­su­la pétrea da Cons­ti­tui­ção.

“Em não se tra­tan­do de deci­são sobre cláu­su­la pétrea, o Con­gres­so, no fun­do, é quem tem a últi­ma pala­vra, por­que ele sem­pre pode pro­du­zir uma emen­da cons­ti­tu­ci­o­nal, rever­ten­do uma inter­pre­ta­ção do STF. Se for cláu­su­la pétrea, não pode”, afir­mou.

Forças Armadas

O pre­si­den­te do STF tam­bém comen­tou a deci­são do Tri­bu­nal Supe­ri­or Elei­to­ral (TSE) que reti­rou as For­ças Arma­das do gru­po de fis­ca­li­za­ção das elei­ções. Os mili­ta­res foram incluí­dos na comis­são de trans­pa­rên­cia em 2021, quan­do Bar­ro­so pre­si­diu a cor­te elei­to­ral.

“As For­ças Arma­das eram fis­ca­li­za­do­ras das elei­ções des­de antes da minha ges­tão no TSE. O que eu cri­ei, dian­te das acu­sa­ções injus­tas e fal­sas de frau­de, foi uma comis­são de trans­pa­rên­cia. Lamen­ta­vel­men­te, as coi­sas não se pas­sa­ram bem ali, por­que o dese­jo era para que con­tri­buís­sem para a trans­pa­rên­cia e para a segu­ran­ça, e tra­ba­lha­ram para levan­tar des­con­fi­an­ças”, con­cluiu.

Perfil

Bar­ro­so tomou pos­se ontem (29) na pre­si­dên­cia da Cor­te e cum­pri­rá man­da­to de dois anos. Ele che­gou ao Supre­mo em 2013, indi­ca­do pela então pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff para a vaga dei­xa­da pelo minis­tro Car­los Ayres Brit­to, apo­sen­ta­do em novem­bro de 2012 ao com­ple­tar 70 anos.

O minis­tro nas­ceu em Vas­sou­ras (RJ), é dou­tor em direi­to públi­co pela Uni­ver­si­da­de do Esta­do do Rio de Janei­ro (Uerj) e mes­tre em direi­to pela Yale Law Scho­ol, nos Esta­dos Uni­dos.

Antes de che­gar ao Supre­mo, atu­ou como advo­ga­do pri­va­do e defen­deu diver­sas cau­sas na Cor­te, entre elas a inter­rup­ção da gra­vi­dez nos casos de fetos anen­cé­fa­los, pes­qui­sas com célu­las-tron­co, união homo­a­fe­ti­va e a defe­sa do ex-ati­vis­ta Cesa­re Bat­tis­ti.

Maté­ria ampli­a­da às 18h01 para inclu­são de decla­ra­ções de Bar­ro­so sobre mar­co tem­po­ral e For­ças Arma­das.

Edi­ção: Juli­a­na Andra­de

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

Repro­du­ção: © Mar­ce­lo Camargo/Agência Bra­sil Caso será analisado pela Primeira Turma em data a ser …