...
domingo ,14 julho 2024
Home / Noticias / Brasil Fraterno entregou mais de 3,5 milhões de cestas de alimentos

Brasil Fraterno entregou mais de 3,5 milhões de cestas de alimentos

Repro­dução: © Mar­cel­lo Casal Jr / Agên­cia Brasil

Ministro da Cidadania falou sobre programa no A Voz do Brasil


Pub­li­ca­do em 17/06/2022 — 18:59 Por Agên­cia Brasil — Brasília
Atu­al­iza­do em 17/06/2022 — 20:12

O pro­gra­ma Brasil Frater­no, que incen­ti­va as doações de ali­men­tos por empre­sas, resul­tou na entre­ga de mais de 3,5 mil­hões de ces­tas de ali­men­tos, o que cor­re­sponde a  R$ 200 mil­hões, afir­mou hoje (17), durante o pro­gra­ma A Voz do Brasil, o min­istro da Cidada­nia, Ronal­do Vieira Ben­to. 

Ben­to disse que o Brasil Frater­no é uma rede de frater­nidade. “É bem inter­a­ti­vo”, disse, desta­can­do que tan­to os inter­es­sa­dos em doar, sejam empre­sas ou pes­soas físi­cas, quan­to os ben­efi­ciários, pre­cisam se cadas­trar no site do Min­istério da Cidada­nia. “A par­tir dali eles ficam habil­i­ta­dos a doar, as empre­sas, e a rece­ber, os ben­efi­ciários. Eles podem ser tan­to rede de ali­men­tos, que são os ban­cos de ali­men­tos que são cadastra­dos pelo Min­istério da Cidada­nia, como tam­bém as enti­dades sócio-assis­ten­ci­ais que estão pelo Brasil afo­ra fazen­do um tra­bal­ho volta­do para a pop­u­lação em situ­ação de vul­ner­a­bil­i­dade.”

O min­istro disse que as empre­sas, além de faz­erem uma cari­dade tam­bém tem bene­fí­cios, como isenção do Impos­to sobre Cir­cu­lação de Mer­cado­rias e Serviços (ICMS) daque­la mer­cado­ria. “Na hora que faz o cadas­tro que faz aque­la doação, o Min­istério da Cidada­nia emite uma cer­tidão de doação even­tu­al que ele apre­sen­ta jun­to à Recei­ta Fed­er­al e vai poder abater o seu impos­to sobre cir­cu­lação de mer­cado­rias. Então o cadas­tro é necessário por con­ta dis­so.”

Ben­to desta­cou que todas as enti­dades socioas­sis­ten­ci­ais estão geor­ref­er­en­ci­a­dos no site e a empre­sa vai doar para aque­la enti­dade que está mais próx­i­mo de sua empre­sa. “Então ele vai lá e entre­ga até o últi­mo dia do pra­zo de val­i­dade”.

Segun­do o min­istro são mais de 80 empre­sas que par­tic­i­pam do pro­gra­ma de maneira reg­u­lar, des­de grandes doadores, como Nestlé, Bauduc­co, e Danone, até pequenos doadores. “Qual­quer doação é impor­tante e a gente incen­ti­va que todos doem, prin­ci­pal­mente aque­les que estão ali com os pro­du­tos se aprox­i­man­do do pra­zo de val­i­dade, porque ao invés de estar acio­nan­do a indús­tria pela cadeia rever­sa para poder destru­ir esse ali­men­to, a gente faz com que ele chegue às mãos de quem mais pre­cisa.”

O min­istro tam­bém desta­cou o pro­gra­ma Ali­men­ta Brasil, em que o gov­er­no fed­er­al com­pra a pro­dução dos pequenos pro­du­tores locais. No ano pas­sa­do mais 55 mil pro­du­tores foram ben­e­fi­ci­a­dos e este ano a meta é ultra­pas­sar este número.

 

Edição: Fábio Mas­sal­li

LOGO AG BRASIL

 

Você pode Gostar de:

F20: favelas cariocas promovem fórum de debates sociais de olho no G20

Repro­dução: © Fer­nan­do Frazão/Agência Brasil Objetivo é ampliar participação das comunidades na cúpula Publicado em …