...
quinta-feira ,25 julho 2024
Home / Direitos Humanos / Brasil tem mais de 18 milhões de pessoas com deficiência

Brasil tem mais de 18 milhões de pessoas com deficiência

Repro­dução: © Marce­lo Camargo/Agência Brasil

Dados são da Pnad Contínua de 2022


Pub­li­ca­do em 07/07/2023 — 15:13 Por Tatiana Alves — Repórter da Rádio Nacional — Rio de Janeiro

ouvir:

No Brasil, cer­ca de 18,6 mil­hões de pes­soas com dois anos ou mais de idade, 8,9% desse grupo etário, tin­ham algu­ma defi­ciên­cia. Em 2022, 47,2% das pes­soas com defi­ciên­cia tin­ham 60 anos ou mais de idade. Os dados são do módu­lo Pes­soas com defi­ciên­cia, da Pnad Con­tínua 2022, do IBGE.

A pesquisa com­pro­va que a desigual­dade se agra­va entre as pes­soas com defi­ciên­cia. No ter­ceiro trimestre de 2022, a taxa de anal­fa­betismo entre pes­soas com defi­ciên­cia foi de 19,5%, enquan­to entre as pes­soas sem defi­ciên­cia essa taxa foi de 4,1%.

Ape­nas 25,6% das pes­soas com defi­ciên­cia tin­ham con­cluí­do pelo menos o ensi­no médio, enquan­to 57,3% das pes­soas sem defi­ciên­cia alcançaram esse nív­el de instrução.

O IBGE tam­bém levan­tou infor­mações sobre a empre­ga­bil­i­dade da pop­u­lação com defi­ciên­cia. No com­par­a­ti­vo entre home­ns e mul­heres sem defi­ciên­cia no mer­ca­do de tra­bal­ho, a taxa de par­tic­i­pação é de 25%, con­tra 57% das mul­heres sem defi­ciên­cia. Já 76% dos home­ns sem defi­ciên­cia fazem parte da força de tra­bal­ho, con­tra 35% daque­les que têm algu­ma defi­ciên­cia.

A anal­ista da pesquisa Luciana San­tos obser­va que os estereóti­pos de gênero se reforçam quan­do há essa questão.

“A mul­her com defi­ciên­cia está sem­pre na base da pirâmide quan­do a gente com­para homem com defi­ciên­cia, mul­her sem defi­ciên­cia, homem sem defi­ciên­cia. Quan­do a gente vai acu­mu­lan­do mar­cadores de desigual­dade da sociedade a mul­her sem defi­ciên­cia tem uma van­tagem no mer­ca­do de tra­bal­ho em ter­mos de remu­ner­ação e em ter­mos de par­tic­i­pação supe­ri­or a do homem com defi­ciên­cia. A mul­her com defi­ciên­cia está sem­pre em pior situ­ação”.

O rendi­men­to médio real habit­u­al das pes­soas com defi­ciên­cia ocu­padas foi de R$ 1.860, enquan­to o rendi­men­to das pes­soas ocu­padas que não tin­ham defi­ciên­cia era de R$ 2.690.

Dos respon­sáveis pelos domicílios no país, 12% têm algu­ma defi­ciên­cia.

Já o per­centu­al de desalen­ta­dos, aque­las pes­soas em idade de tra­bal­har que não procu­ram emprego, é de 6%, supe­ri­or aos 3,7%, das pes­soas sem defi­ciên­cia.

Edição: Vitória Elizabeth/Renata Batista

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Dia do Amigo: relação é fundamental para a saúde mental, diz psicóloga

Repro­dução: © Marce­lo Camargo/Agência Brasil Especialistas ressaltam que ter amizades é importante desde a infância …