...
sábado ,25 maio 2024
Home / Economia / Brinquedos mostram variação de preço de até 251% em lojas virtuais

Brinquedos mostram variação de preço de até 251% em lojas virtuais

Repro­du­ção: © Fer­nan­do Frazão/Agência Bra­sil

Levantamento é do Procon do Rio de Janeiro


Publi­ca­do em 04/10/2023 — 08:32 Por Ala­na Gan­dra — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Rio de Janei­ro

ouvir:

Levan­ta­men­to de pre­ços fei­to pelo Pro­con do esta­do do Rio de Janei­ro (Pro­con-RJ) em 13 lojas vir­tu­ais, com foco no Dia das Cri­an­ças, cons­ta­tou vari­a­ção de até 251% nos valo­res de 100 brin­que­dos. A pes­qui­sa foi fei­ta de 25 de setem­bro a 2 de outu­bro em dife­ren­tes sites dire­ci­o­na­dos às cri­an­ças, que vêm sen­do fis­ca­li­za­dos pela autar­quia. Três deles foram noti­fi­ca­dos por apre­sen­tar irre­gu­la­ri­da­des na infor­ma­ção do pre­ço que, segun­do o Pro­con, podem indu­zir o con­su­mi­dor ao erro.

Os sites noti­fi­ca­dos após a fis­ca­li­za­ção terão 48 horas para fazer a ade­qua­ção. O levan­ta­men­to fei­to em lojas que tinham mais de um for­ne­ce­dor do pro­du­to pes­qui­sa­do con­si­de­rou na pes­qui­sa o menor valor. A son­da­gem pode ser aces­sa­da aqui. Os pre­ços infor­ma­dos podem vari­ar con­for­me a data.

De acor­do com o levan­ta­men­to, as vari­a­ções mais sig­ni­fi­ca­ti­vas nos valo­res dos brin­que­dos foram de 251% em um jogo e 235% em um que­bra-cabe­ça. A menor vari­a­ção foi encon­tra­da em um lan­ça­dor com aces­só­ri­os, que vari­ou 12% em lojas dife­ren­tes. O pre­si­den­te do Pro­con Esta­du­al, Cás­sio Coe­lho, dis­se que o fatu­ra­men­to do e‑commerce deve­rá aumen­tar 8% no Dia das Cri­an­ças este ano, em rela­ção ao ano pas­sa­do, de acor­do com a Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Comér­cio Ele­trô­ni­co (Abcomm).

Coe­lho infor­mou que o obje­ti­vo da pes­qui­sa foi aju­dar o con­su­mi­dor e demons­trar que se ele pes­qui­sar o mes­mo pro­du­to em locais dife­ren­tes, pode encon­trar valo­res diver­sos e eco­no­mi­zar de modo sig­ni­fi­ca­ti­vo. “Tam­bém man­te­re­mos a vigi­lân­cia no e‑commerce. Duran­te a sema­na do Dia das Cri­an­ças, fare­mos fis­ca­li­za­ções em lojas que comer­ci­a­li­zam pro­du­tos para esse públi­co. Que­re­mos garan­tir a segu­ran­ça dos con­su­mi­do­res e ori­en­tar os for­ne­ce­do­res quan­to às boas prá­ti­cas de con­su­mo”, dis­se o pre­si­den­te do Pro­con-RJ.

Recomendações

Con­si­de­ran­do que o Dia das Cri­an­ças movi­men­ta­rá o comér­cio ele­trô­ni­co e tam­bém lojas físi­cas, o Pro­con dá algu­mas dicas para os con­su­mi­do­res. Uma suges­tão impor­tan­te é pes­qui­sar, por­que pro­du­tos idên­ti­cos podem apre­sen­tar gran­des vari­a­ções nas lojas. “Se for fazer com­pra de for­ma vir­tu­al, fique aten­to ao pra­zo de entre­ga e às espe­ci­fi­ca­ções do pro­du­to”. É pre­ci­so tam­bém veri­fi­car a clas­si­fi­ca­ção etá­ria do brin­que­do, que deve­rá ser ade­qua­da à ida­de da cri­an­ça.

O con­su­mi­dor deve veri­fi­car se o brin­que­do adqui­ri­do tem o selo do Ins­ti­tu­to Naci­o­nal de Metro­lo­gia, Qua­li­da­de e Tec­no­lo­gia (Inme­tro). Isso garan­ti­rá que o pro­du­to pas­sou por tes­tes antes de ser libe­ra­do para comer­ci­a­li­za­ção. Outras dicas são obser­var o rótu­lo e cer­ti­fi­car-se de que não há agen­tes que pos­sam cau­sar into­xi­ca­ções ou aler­gi­as à cri­an­ça.

‘Não digi­te dados pes­so­ais e não envie fotos por meio de links, apli­ca­ti­vos de men­sa­gens, e‑mails ou sites des­co­nhe­ci­dos. Veja com outros con­su­mi­do­res a cre­di­bi­li­da­de do site em que fará a com­pra e, tam­bém, bus­que sites espe­cí­fi­cos para isso, como o consumidor.gov.br, reco­men­da a autar­quia. É pre­ci­so estar aten­to à polí­ti­ca de tro­ca de cada loja, pois ela não é obri­ga­tó­ria.

O Pro­con-RJ lem­bra que o arre­pen­di­men­to é um direi­to do con­su­mi­dor e pode­rá ser exer­ci­do para com­pras rea­li­za­das pela inter­net, por tele­fo­ne e até mes­mo por catá­lo­gos. Nes­se caso, o con­su­mi­dor terá sete dias para desis­tir da com­pra, por qual­quer moti­vo, e deve­rá ser res­ti­tuí­do do valor pago, inclu­si­ve do fre­te. A autar­quia ori­en­ta ain­da que o con­su­mi­dor deve sem­pre pedir a nota fis­cal, não impor­ta a moda­li­da­de da com­pra. Mais infor­ma­ções podem ser obti­das no ende­re­ço www.procon.rj.gov.br.

Edi­ção: Gra­ça Adju­to

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

MP do Desenrola Brasil é prorrogada pelo Congresso por mais 60 dias

Repro­du­ção: © Joéd­son Alves/Agência Bra­sil Data de adesão ao programa, no entanto, não é alterada …