...
sábado ,20 julho 2024
Home / Economia / Conab: preços da maçã, banana e melancia têm forte alta em dezembro

Conab: preços da maçã, banana e melancia têm forte alta em dezembro

Ministério da agricultura, fixa padrões visuais de qualidade para frutas, legumes e verduras
© Val­ter Campanato/Agência Brasil (Repro­dução)

As exportações de frutas, no geral, subiram no mês passado


Pub­li­ca­do em 27/01/2021 — 11:48 Por Agên­cia Brasil — Brasília

Os preços da maçã, banana e melan­cia subi­ram forte­mente na maio­r­ia dos mer­ca­dos em dezem­bro, mostra o primeiro Bole­tim Pro­hort de 2021, divul­ga­do hoje (27) pela Com­pan­hia Nacional de Abastec­i­men­to (Conab). O bole­tim desta­ca que os preços no últi­mo mês do ano, “como de cos­tume”, refletem o impacto do verão e das fes­tas de fim de ano sobre o com­por­ta­men­to do con­sum­i­dor. 

No caso da melan­cia, o preço do qui­lo chegou a subir 50% em Goiâ­nia; 49% em Brasília; 31,9% em Recife, e 30,3% em Belo Hor­i­zonte. A alta ficou na casa de dois dígi­tos ain­da em Curiti­ba (23,4%), Vitória (21,9%) e São Paulo (19,8%). A úni­ca que­da foi reg­istra­da no Rio de Janeiro (3,49%). A causa para a alta foi a retração da ofer­ta diante de uma explosão da deman­da, segun­do a Conab.

Em relação à banana, uma das prin­ci­pais fru­tas con­sum­i­das pelo brasileiro, foi reg­istra­da alta em todos os nove mer­ca­dos pesquisa­dos. O preço subiu mais forte em Belo Hor­i­zonte (37,9%), Rio de Janeiro (25%), Curiti­ba (23,5%), São Paulo (19,4%) e Brasília (17%). De acor­do com a Conab, a deman­da per­maneceu nor­mal para a época do ano, mas a pro­dução, em espe­cial da banana pra­ta, segue cain­do. Hou­ve tam­bém aumen­to das expor­tações, sobre­tu­do para a Argenti­na.

A alta da maçã, por sua vez, chegou a 30,3% em Brasília; 18,2% em Goiâ­nia; 16,1% em Belo Hor­i­zonte, e 15,4% em Vitória. O preço tam­bém subiu em todos os demais mer­ca­dos, com destaque para Curiti­ba (10%), Recife (9,4%) e For­t­aleza (7,2%). Segun­do a Conab, ape­sar de uma deman­da reduzi­da no fim de ano, “obser­va-se a con­tinuidade do movi­men­to de redução da ofer­ta”.

As expor­tações de fru­tas, no ger­al, subi­ram no mês pas­sa­do, infor­mou a Conab. O vol­ume expor­ta­do chegou em dezem­bro com mais de 1 mil­hão de toneladas, cer­ca de 6% aci­ma do ano ante­ri­or.

Tomate, batata e cenoura

Segun­do o Bole­tim Pro­hort, o preço do tomate caiu na maio­r­ia dos mer­ca­dos em dezem­bro, enquan­to o preço da bata­ta e da cenoura subiu.

No caso do tomate, ape­sar da alta da deman­da, o preço caiu diante da maior ofer­ta do pro­du­to. Em Goiâ­nia, o preço chegou a cair 20,7%. Em For­t­aleza, a que­da foi de 18,3%. A redução chegou ain­da a 15,7% em Belo Hor­i­zonte e 13,68% no Rio de Janeiro. Foi reg­istra­da alta em Recife (2,5%) e São Paulo (1,7%).

No caso da bata­ta, o preço chegou a subir 14,22% em Belo Hor­i­zonte, 13,29% no Rio de Janeiro e 13,03% em Goiâ­nia. Hou­ve alta tam­bém em Brasília (9%), Vitória (7,8%) e Curiti­ba (7,3%). As úni­cas quedas foram reg­istradas em For­t­aleza (11,5%) e Recife (4,1%).

Em relação à cenoura, a alta chegou a 12,8% em São Paulo, 7,9% no Rio de Janeiro, 6,3% em Curiti­ba e 4,1% em Vitória. Por out­ro lado, o preço caiu em Goiâ­nia (12,9%), For­t­aleza (8,7%) e Recife (3,5%).

O Bole­tim Pro­hort acom­pan­ha mês a mês os preços de hor­tal­iças e fru­tas nos cen­tros de dis­tribuição de nove cap­i­tais: São Paulo, Belo Hor­i­zonte, Rio de Janeiro, Vitória, Curiti­ba, Goiâ­nia, Brasília, Recife e For­t­aleza.

Edição: Fer­nan­do Fra­ga

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Com construção parada, Angra 3 investe em conservação de equipamentos

Repro­dução: © Tomaz Silva/Agência Brasil Alguns dos itens guardados pela usina são de 1984 Publicado …