quinta-feira ,15 julho 2021
Home / Saúde / Covid-19: boletim epidemiológico mostra aumento de casos e óbitos

Covid-19: boletim epidemiológico mostra aumento de casos e óbitos

A doutora Luciana Souza compara duas radiografias de tórax diferentes de um paciente enquanto conversa com um colega de um hospital de campanha criado para tratar pacientes que sofrem da doença de coronavírus (COVID-19) em Guarulhos, São Paulo
Reprodução: © REUTERS / Amanda Perobelli/direitos reservados

Levantamento mostra aumento de números da pandemia em 17 estados


Publicado em 18/06/2021 – 19:15 Por Jonas Valente – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Segundo informa o mais recente Boletim Epidemiológico Especial Nº. 67 do Ministério da Saúde, a semana epidemiológica 23, compreendida entre os dias 6 e 12 de junho, mostrou que houve alta no número de contaminações e óbitos por covid-19 no Brasil.

O levantamento mostra que 13.741 pessoas que não resistiram à covid-19, enquanto na semana anterior o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde trouxe 11.474 óbitos. O número representa um aumento de 20% em relação à semana anterior.

Após um período de estabilidade identificado em semanas anteriores, o levantamento mostra uma retomada do crescimento da curva de óbitos. A média móvel (número total do período dividido pelos sete dias da semana) de mortes na semana epidemiológica 23 ficou em 1.963.

be63_graf01

Novos casos de covid-19 aumentaram 7% na semana de 6 a 12 de junho. Neste período, foram registrados 467.393 novos diagnósticos da doença, contra 435.825 na semana anterior. A média móvel de casos ficou em 66.770.

O resultado da semana epidemiológica 23 mostra retomada de crescimento após a queda identificada na semana 21, que compreende os dias 23 a 29 de maio. A queda no número de casos positivos de covid-19 foi iniciada em março, com um revés na semana epidemiológica 13.

be63_graf02

Estados

Na semana de 6 a 12 de junho, 16 estados mostraram acréscimo de casos, dois e o Distrito Federal ficaram estáveis e oito tiveram redução. Os crescimentos mais intensos ocorreram no Pará (54%) e Rio Grande do Sul (49%). Já as quedas mais efetivas se deram no Ceará (-38%) e Acre (-16%).

No caso dos novos óbitos, o número de estados com aumento desse índice foi de 17, enquanto três ficaram estáveis e seis mais o DF tiveram menos mortes novas em relação ao balanço da semana anterior. Os maiores incrementos aconteceram em Roraima (75%) e Paraná (65%). As reduções mais efetivas foram registradas no Acre (-26%) e Espírito Santo (-20%)

Mundo

A Índia seguiu no topo de mortes por semana. Lá foram registrados 23.625 novos óbitos. O Brasil mantém a 2ª colocação. Em seguida vêm Argentina (4.208), Colômbia (3.770) e Estados Unidos (2.598). Quando considerados números absolutos, o Brasil segue na 2ª posição, atrás dos Estados Unidos (599.664). Quando consideradas as mortes por 1 milhão de habitantes, o Brasil fica na 7ª colocação.

be63_graf03

A Índia também é a campeã em novos casos, tendo 630.650 na semana analisada. O Brasil ocupou a 2ª colocação no ranking de casos, seguido pela Colômbia (177.688), Argentina (172.123) e Estados Unidos (100.202). Na comparação em números absolutos, o Brasil fica na 3ª posição, atrás dos EUA (33,4 milhões) e Índia (29,4 milhões). Na comparação proporcional, por 1 milhão de habitantes, o Brasil ocupa a 17ª posição.

O Boletim Especial Epidemiológico pode ser lido na íntegra no site do Ministério da Saúde.

be63_graf04

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

 LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

autoexame_cancer_de_mama

Femama alerta sobre mamografias após vacina contra covid-19

Reprodução: © Divulgação/Sociedade Brasileira de Mastologia Recomendação é que se espere de duas a quatro semanas …