...
quarta-feira ,28 fevereiro 2024
Home / Saúde / Dengue avança em ritmo acelerado no estado do Rio de Janeiro

Dengue avança em ritmo acelerado no estado do Rio de Janeiro

Repro­du­ção: © Reuters/Direitos Reser­va­dos

Na primeira semana de 2024, foram notificados mais 1.014 casos


Publi­ca­do em 12/01/2024 — 14:40 Por Viní­cius Lis­boa — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Rio de Janei­ro

ouvir:

O esta­do do Rio de Janei­ro regis­tra mais de mil casos de den­gue sema­nais há ao menos sete sema­nas con­se­cu­ti­vas, segun­do o moni­to­ra­men­to de arbo­vi­ro­ses da Secre­ta­ria de Esta­do de Saú­de (SES).

Na pri­mei­ra sema­na de 2024, foram noti­fi­ca­dos mais 1.014 casos, núme­ro que ain­da pode estar subes­ti­ma­do em fun­ção do atra­so no apa­re­ci­men­to das noti­fi­ca­ções no sis­te­ma.

A secre­tá­ria de Esta­do de Saú­de, Clau­dia Mel­lo, ava­lia que os índi­ces de pro­pa­ga­ção da doen­ça estão mui­to aci­ma do espe­ra­do para esta épo­ca do ano e con­ti­nu­am cres­cen­do de for­ma mais ace­le­ra­da.

“Esti­ma­mos que os casos inse­ri­dos no sis­te­ma nas últi­mas sema­nas repre­sen­tem ape­nas meta­de daqui­lo que está acon­te­cen­do na prá­ti­ca”, afir­ma. “A Secre­ta­ria de Esta­do de Saú­de tem refor­ça­do as ações de trei­na­men­to no mane­jo da den­gue para médi­cos e enfer­mei­ros dos muni­cí­pi­os e de sua rede pró­pria, além de for­ne­cer supor­te e ori­en­ta­ção aos muni­cí­pi­os. É pre­ci­so inten­si­fi­car os esfor­ços para a eli­mi­na­ção de focos de mos­qui­tos e a cole­ta de amos­tras de casos sus­pei­tos de den­gue para envio ao Lacen, que é o labo­ra­tó­rio ofi­ci­al do gover­no do Esta­do.”

Em 2023, o esta­do do Rio de Janei­ro regis­trou 51.171 casos e 25 mor­tes por den­gue, segun­do a SES. O núme­ro de casos é qua­se cin­co vezes mai­or que o de 2022, quan­do foram 11.432 noti­fi­ca­ções e 16 óbi­tos.

Segun­do a supe­rin­ten­den­te de Infor­ma­ção Estra­té­gi­ca em Vigi­lân­cia e Saú­de da SES-RJ, Luci­a­ne Velas­que, as regiões que mais pre­o­cu­pam nes­te momen­to são as Bai­xa­das Lito­râ­ne­as, com uma inci­dên­cia mui­to mai­or do que a espe­ra­da para este perío­do, e a Metro­po­li­ta­na I (Capi­tal e Bai­xa­da Flu­mi­nen­se), que tem o mai­or núme­ro de casos.

Na região Metro­po­li­ta­na I, é obser­va­da ten­dên­cia de cres­ci­men­to rápi­do do núme­ro de casos esti­ma­dos, con­si­de­ran­do o atra­so das noti­fi­ca­ções, prin­ci­pal­men­te nos muni­cí­pi­os do Rio de Janei­ro, Ita­guaí e Nova Igua­çu.

No muni­cí­pio do Rio, foram noti­fi­ca­dos 23.542 casos de den­gue em 2023, e 492 casos já foram regis­tra­dos em 2024, segun­do a Secre­ta­ria Muni­ci­pal de Saú­de. A inci­dên­cia da doen­ça é mai­or na Área Pro­gra­má­ti­ca (AP) 5.2, que englo­ba bair­ros nas regiões de Cam­po Gran­de e Gua­ra­ti­ba. Nes­sa área, hou­ve qua­se mil casos de den­gue para cada 100 mil habi­tan­tes em 2023.

Edi­ção: Juli­a­na Andra­de

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Saúde e Anvisa reforçam alerta sobre uso de pomada capilar no carnaval

Repro­du­ção: © Fabio Rodri­gues-Poz­ze­bom/ Agên­cia Bra­sil Produto é usado para manter penteados e tranças Publi­ca­do …