...
domingo ,16 junho 2024
Home / Noticias do Mundo / Gaza: pelo menos 15 estabelecimentos de saúde foram atingidos

Gaza: pelo menos 15 estabelecimentos de saúde foram atingidos

Repro­du­ção: © Reu­ters

Informação é do Ministério da Saúde palestino


Publi­ca­do em 14/10/2023 — 12:07 Por Alex Rodri­gues — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Bra­sí­lia

ouvir:

O por­ta-voz do Minis­té­rio da Saú­de da Pales­ti­na, Ash­raf Al-Qudra, afir­mou, nes­te sába­do (14), que as for­ças mili­ta­res de Isra­el ata­ca­ram ao menos 15 hos­pi­tais e uni­da­des de saú­de da Fai­xa de Gaza, no Ori­en­te Médio. Ain­da segun­do Al-Qudra, 23 ambu­lân­ci­as tam­bém foram atin­gi­das enquan­to pro­fis­si­o­nais de saú­de aten­di­am a víti­mas da ofen­si­va isra­e­len­se.

Em um comu­ni­ca­do divul­ga­do hoje, o por­ta-voz minis­te­ri­al ape­lou à comu­ni­da­de inter­na­ci­o­nal que ado­te medi­das capa­zes de per­su­a­dir o gover­no de Isra­el a não bom­bar­de­ar hos­pi­tais e áre­as pró­xi­mas a uni­da­des de saú­de.

“A ame­a­ça de bom­bar­de­ar ins­ti­tui­ções de saú­de sob os olhos do mun­do expres­sa o com­por­ta­men­to cri­mi­no­so sis­te­má­ti­co da ocu­pa­ção isra­e­li­ta”, decla­rou Al-Qudra, ao infor­mar que par­te das 15 ins­ta­la­ções de saú­de atin­gi­das já não podem aten­der às milha­res de víti­mas do con­fron­to entre Isra­el e o gru­po Hamas, que con­tro­la a Fai­xa de Gaza.

Nas redes soci­ais, a asses­so­ria do Minis­té­rio da Saú­de da Pales­ti­na infor­mou que ao menos 10 para­mé­di­cos mor­re­ram e outros 27 foram feri­dos enquan­to tra­ba­lha­vam, socor­ren­do as víti­mas em ter­ri­tó­rio pales­ti­no, des­de o iní­cio do con­fli­to, há uma sema­na. A pas­ta tam­bém tem, recor­ren­te­men­te, pedi­do que os cida­dãos que pude­rem pro­cu­rem um ban­co de san­gue ain­da ope­ran­do a fim de doar san­gue às víti­mas do con­fron­to.

Na últi­ma quin­ta-fei­ra (12), o gover­no de Isra­el anun­ci­ou que agi­rá de for­ma a ani­qui­lar o movi­men­to Hamas, sem abrir exce­ções huma­ni­tá­ri­as no cer­co que fez à Fai­xa de Gaza. A ame­a­ça foi uma res­pos­ta ao pedi­do da orga­ni­za­ção da Cruz Ver­me­lha, que con­cla­mou Isra­el a per­mi­tir a entra­da de com­bus­tí­vel na Fai­xa de Gaza a fim de evi­tar que hos­pi­tais sobre­car­re­ga­dos “se trans­for­mem em necro­té­ri­os”.

Ontem, Isra­el deu um pra­zo de 24 horas para que os pales­ti­nos dei­xem a região nor­te da Fai­xa de Gaza, onde vivem cer­ca de 1,2 milhão de pes­so­as, e se diri­jam rumo ao sul. O comu­ni­ca­do foi fei­to por meio de pan­fle­tos lan­ça­dos na Fai­xa de Gaza por aero­na­ves isra­e­len­ses. A Orga­ni­za­ção das Nações Uni­das (ONU) con­fir­mou que foi infor­ma­da sobre o avi­so isra­e­len­se para que os pales­ti­nos eva­cu­em a região, des­ta­can­do ser impos­sí­vel movi­men­tar tan­tas pes­so­as em tão pou­co tem­po. O pra­zo para que os pales­ti­nos dei­xem a região nor­te da Fai­xa de Gaza ter­mi­nou há pou­co.

Edi­ção: Ali­ne Leal

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Brasil repudia massacre de palestinos famintos: “situação intolerável”

Repro­du­ção: © Fotos REUTERS/Shadi  Taba­ti­bi Em nota, Itamaraty diz que ação não tem qualquer limite …