...
sábado ,15 junho 2024
Home / Noticias / Ida para novo partido está “bastante avançada”, diz Bolsonaro

Ida para novo partido está “bastante avançada”, diz Bolsonaro

Pronunciamento à Nação - Live PR Jair Bolsonaro (17/06/2021)
Repro­du­ção: © Repro­du­ção Youtube/Jair Bol­so­na­ro

Expectativa é de que o presidente se filie ao Patriota


Publi­ca­do em 17/06/2021 — 21:42 Por Pedro Rafa­el Vile­la — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Bra­sí­lia

O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro afir­mou nes­ta quin­ta-fei­ra (17), duran­te sua live sema­nal nas redes soci­ais, que está com nego­ci­a­ções avan­ça­das para se fili­ar a um novo par­ti­do. Ontem (16), ele se reu­niu com par­la­men­ta­res ali­a­dos no Palá­cio do Alvo­ra­da para dis­cu­tir o assun­to. 

“Eu vou ter que ter um par­ti­do, e eu já teria resol­vi­do esse assun­to, mas tem que ser mui­to bem con­ver­sa­do. A legis­la­ção par­ti­dá­ria é com­pli­ca­da, os par­ti­dos geral­men­te têm donos. Mas está bas­tan­te avan­ça­da a ida minha para um par­ti­do, um par­ti­do peque­no”, afir­mou Bol­so­na­ro.

A expec­ta­ti­va é que o pre­si­den­te se filie ao Patri­o­ta, legen­da que pos­sui uma ban­ca­da de ape­nas seis depu­ta­dos fede­rais na atu­al legis­la­tu­ra. No Sena­do, o par­ti­do é repre­sen­ta­do por Flá­vio Bol­so­na­ro, sena­dor pelo Rio de Janei­ro, filho do pre­si­den­te e um dos arti­cu­la­do­res da fili­a­ção do pai. Se esta mudan­ça de par­ti­do se con­fir­mar, no entan­to, a ban­ca­da deve cres­cer sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te, com a ida de deze­nas de par­la­men­ta­res, a mai­o­ria do PSL, que são ali­a­dos do pre­si­den­te.

“Tenho cer­te­za que mui­tos dos depu­ta­dos irão, só que a gen­te só vai poder falar sobre isso, na ver­da­de deci­dir sobre a mudan­ça, pri­mei­ro depois que o pre­si­den­te anun­ci­ar, e tam­bém na jane­la [par­ti­dá­ria], que é só no ano que vem. Na jane­la, mui­tos cer­ta­men­te migra­rão e a gen­te está ansi­o­so por essa mudan­ça do pre­si­den­te”, afir­mou o depu­ta­do fede­ral Major Vitor Hugo (PSL-GO), ex-líder do gover­no na Câma­ra que tam­bém par­ti­ci­pou da live. A cha­ma­da jane­la par­ti­dá­ria é o pra­zo para que can­di­da­tos mudem de par­ti­do sem ris­co de per­der o man­da­to. Esse perío­do ocor­re sem­pre em ano elei­to­ral, a seis meses do plei­to.

O Patri­o­ta mar­cou uma con­ven­ção naci­o­nal para o pró­xi­mo dia 24, em Bra­sí­lia, onde deve deli­be­rar sobre alte­ra­ções esta­tu­tá­ri­as e a pos­si­bi­li­da­de do par­ti­do ter can­di­da­to pró­prio à pre­si­dên­cia.

Elei­to em 2018 pelo Par­ti­do Soci­al Libe­ral (PSL), Bol­so­na­ro se des­li­gou da agre­mi­a­ção em novem­bro de 2019. Na épo­ca, ele anun­ci­ou a cri­a­ção de um novo par­ti­do, o Ali­an­ça pelo Bra­sil, que pre­ci­sa­va reco­lher um núme­ro míni­mo de 500 mil assi­na­tu­ras em pelo menos 9 esta­dos para ser for­ma­li­za­do na Jus­ti­ça Elei­to­ral. O pro­je­to, no entan­to, aca­bou não ten­do êxi­to e o pre­si­den­te pas­sou a arti­cu­lar a fili­a­ção em um par­ti­do já exis­ten­te.

Duran­te a live, Bol­so­na­ro afir­mou que, se for can­di­da­to à ree­lei­ção no ano que vem, vai dar pri­o­ri­da­de para a elei­ção de ali­a­dos no Sena­do, onde ele gos­ta­ria de ter uma base mais sóli­da. “Há um inte­res­se meu, se for par­ti­ci­par das elei­ções, cres­cer a ban­ca­da de sena­do­res. São 27 cadei­ras que podem sofrer alte­ra­ções no ano que vem.”

O pre­si­den­te mini­mi­zou o fato de se trans­fe­rir para um par­ti­do peque­no, com pou­cos recur­sos do fun­do par­ti­dá­rio e com tem­po de tele­vi­são de ape­nas 25 segun­dos, segun­do dis­se.

“Cada ano que pas­sa, o horá­rio elei­to­ral gra­tui­to per­de sua for­ça por oca­sião das elei­ções. Cada vez mais, a popu­la­ção se ori­en­ta atra­vés das mídi­as soci­ais e não pelo horá­rio elei­to­ral gra­tui­to”, enfa­ti­zou.

Voto impresso

O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro vol­tou a defen­der a implan­ta­ção do voto impres­so nas elei­ções de 2022. Segun­do ele, caso não exis­ta o cha­ma­do “voto audi­tá­vel” nas urnas, um lado pode­ria não acei­tar os resul­ta­dos da elei­ção e “cri­ar uma con­vul­são no Bra­sil”.

“Vamos res­pei­tar o Par­la­men­to. Caso con­trá­rio, tere­mos dúvi­das nas elei­ções e pode­mos ter um pro­ble­ma serís­si­mo no Bra­sil. Pode um lado ou outro não acei­tar e cri­ar uma con­vul­são no Bra­sil”, dis­se o pre­si­den­te.

O tema está em tra­mi­ta­ção no Con­gres­so Naci­o­nal por meio da Pro­pos­ta de Emen­da Cons­ti­tu­ci­o­nal 135/2019, apre­sen­ta­da pela depu­ta­da fede­ral Bia Kicis (PSL-DF) e sob a rela­to­ria do depu­ta­do fede­ral Fili­pe Bar­ros (PSL-PR). A medi­da tor­na obri­ga­tó­ria a impres­são do voto para audi­ta­gem e a expec­ta­ti­va é que o voto do rela­tor seja apre­sen­ta­do ain­da este mês na Câma­ra.

Edi­ção: Clau­dia Felc­zak

 LOGO AG BRASIL

 

Você pode Gostar de:

Quadrilha que lavava dinheiro do tráfico é alvo de operação da PF

Repro­du­ção: © Polí­cia Fede­ral Grupo criminoso agia no estado de Minas Gerais Publicado em 11/06/2024 …