...
quarta-feira ,17 abril 2024
Home / Noticias do Mundo / Milei corta verba de províncias e abre crise política na Argentina

Milei corta verba de províncias e abre crise política na Argentina

Repro­du­ção: © REUTERS/Agustin Mar­car­lan

Fundo de Fortalecimento Fiscal de Buenos Aires é cancelado


Publi­ca­do em 28/02/2024 — 10:42 Por Lucas Por­deus León — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Bra­sí­lia

ouvir:

O pre­si­den­te argen­ti­no, Javi­er Milei (foto), publi­cou essa sema­na mais um decre­to cor­tan­do recur­sos para pro­vín­ci­as argen­ti­nas. Des­sa vez, ele can­ce­lou o Fun­do de For­ta­le­ci­men­to Fis­cal da pro­vín­cia de Bue­nos Aires, cau­san­do a ira do gover­na­dor Axel Kicil­lof, que pro­me­teu recor­rer da deci­são.

Em entre­vis­ta cole­ti­va, Kicil­lof dis­se que o pre­si­den­te está extor­quin­do e ame­a­çan­do as pro­vín­ci­as argen­ti­nas. “O ajus­te não foi nem con­tra a cas­ta, nem con­tra um setor exclu­si­vo, nem con­tra a polí­ti­ca. O ajus­te, e hoje está cla­ro, foi con­tra o povo da pro­vín­cia e de todo o país”, afir­mou o gover­na­dor, aler­tan­do que o cor­te pre­ju­di­ca, entre outras des­pe­sas, o paga­men­to dos salá­ri­os de pro­fes­so­res e o finan­ci­a­men­to da ali­men­ta­ção dos alu­nos.

Na sema­na ante­ri­or, Milei sus­pen­deu recur­sos da pro­vín­cia da região patagô­ni­ca Chu­but. Em res­pos­ta, o gover­na­dor Igna­cio Tor­res recor­reu à Jus­ti­ça e pro­me­teu sus­pen­der o for­ne­ci­men­to de petró­leo e gás para o res­to do país. Outros qua­tro gover­na­do­res da Patagô­nia argen­ti­na, res­pon­sá­veis pela pro­du­ção de cer­ca de 90% do petró­leo e gás do país, se mani­fes­ta­ram em soli­da­ri­e­da­de à pro­vín­cia de Chu­but.

Nes­sa ter­ça-fei­ra (27), a pri­mei­ra ins­tân­cia da jus­ti­ça fede­ral man­dou o gover­no naci­o­nal devol­ver o aces­so aos recur­sos de Chu­but, mas o gover­no MIlei infor­mou que irá recor­rer da deci­são.

Em entre­vis­ta ao jor­nal La Nación, Tor­res afir­mou que o obje­ti­vo do gover­no naci­o­nal é “matar uma pro­vín­cia para exem­pli­fi­car e dis­ci­pli­nar o res­to” e acres­cen­tou que MIlei cor­ta “qual­quer pon­te de diá­lo­go com qual­quer gover­na­dor, depu­ta­do ou qual­quer pes­soa que ouse dizer que não está de acor­do com algo”.

Em uma rede soci­al, o pre­si­den­te Javi­er Milei comen­tou a cri­se polí­ti­ca jus­ti­fi­can­do que “a cas­ta polí­ti­ca está cha­fur­dan­do na misé­ria e ape­lan­do a todo tipo de men­ti­ras para defen­der seus pri­vi­lé­gi­os e assim car­re­gar os cus­tos de seus delí­ri­os sobre os bons argen­ti­nos”.

Ao jus­ti­fi­car o can­ce­la­men­to do fun­do de Bue­nos Aires, o gover­no argen­ti­no dis­se que a medi­da é neces­sá­ria para efe­tu­ar o ajus­te fis­cal de até 5% do Pro­du­to Inter­no Bru­to (PIB) nas con­tas do Esta­do.

Crise política

O cien­tis­ta polí­ti­co Lean­dro Gabi­a­ti ava­li­ou que Milei deci­diu cor­tar recur­sos das pro­vín­ci­as depois de ver der­ro­ta­do o seu pro­je­to de lei de ajus­te fis­cal no Con­gres­so Naci­o­nal, a cha­ma­da “lei ôni­bus”. Para o espe­ci­a­lis­ta, essas deci­sões refle­tem um méto­do de gover­nar base­a­do no con­fron­to.

“Ele ten­tou impor o pro­je­to de lei ao Con­gres­so e não quis nego­ci­ar, e assim o pro­je­to aca­bou der­ro­ta­do. O decre­to que ele edi­tou em dezem­bro tem chan­ce de cair ou de não avan­çar quan­do come­ça­rem as ses­sões ago­ra no mês de mar­ço no Sena­do e na Câma­ra”, des­ta­cou.

Gabi­a­ti acres­cen­tou que essa dinâ­mi­ca está sen­do imple­men­ta­da tam­bém com rela­ção aos gover­na­do­res. “Logi­ca­men­te, isso aí é uma pos­tu­ra de ris­co, por­que pode gerar impas­ses que, se não forem resol­vi­dos, podem decor­rer em cri­ses polí­ti­cas ou até soci­ais”, com­ple­tou.

O cien­tis­ta polí­ti­co argen­ti­no, que é natu­ra­li­za­do bra­si­lei­ro, lem­brou ain­da que, com­pa­ra­do com o Bra­sil, as pro­vín­ci­as argen­ti­nas têm mai­or depen­dên­cia finan­cei­ra em rela­ção ao gover­no cen­tral.

“No Bra­sil, você tem esta­dos com uma cer­ta auto­no­mia econô­mi­ca — como São Pau­lo, Para­ná, do Sul, do Sudes­te, até do Cen­tro-Oes­te e do Nor­des­te tam­bém. Logi­ca­men­te que os repas­ses e a divi­são de recur­sos são impor­tan­tes, mas elas têm uma vida econô­mi­ca pró­pria. Isso acon­te­ce em menor medi­da na Argen­ti­na. Então, esses repas­ses de recur­sos são o cen­tro do con­fli­to que é his­tó­ri­co na Argen­ti­na”, fina­li­zou.

Edi­ção: Kle­ber Sam­paio

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Após dar à luz, brasileira é autorizada a deixar a Faixa de Gaza

Repro­du­ção: © Escri­tó­rio do Bra­sil na Ramala/Divulgação Agora, elas e os filhos estão em Rafah, …