...
domingo ,14 abril 2024
Home / Justiça / Moraes marca para hoje novo depoimento de Cid após áudios vazados

Moraes marca para hoje novo depoimento de Cid após áudios vazados

Repro­du­ção; © Antô­nio Cruz/Agência Bra­sil

Tenente-coronel falará às 13h na sala de audiências do STF


Publicado em 22/03/2024 — 09:53 Por Felipe Pontes — Repórter da Brasil — Brasília

ouvir:

O minis­tro Ale­xan­dre de Mora­es, do Supre­mo Tri­bu­nal Fede­ral (STF), mar­cou para as 13h des­ta sex­ta-fei­ra (22) um novo depoi­men­to do tenen­te-coro­nel Mau­ro Cid, após serem divul­ga­dos áudi­os em que o mili­tar cri­ti­ca a atu­a­ção das auto­ri­da­des res­pon­sá­veis pelas inves­ti­ga­ções con­tra ele.

O depoi­men­to ocor­re­rá na sala de audi­ên­ci­as do STF e será pre­si­di­do pelo desem­bar­ga­dor Air­ton Viei­ra, juiz ins­tru­tor do gabi­ne­te de Mora­es. Na sala, devem estar pre­sen­tes ape­nas o depo­en­te, sua defe­sa e um repre­sen­tan­te da Pro­cu­ra­do­ria-Geral da Repú­bli­ca (PGR).

Mora­es tomou a medi­da após a revis­ta Veja ter publi­ca­do, na noi­te des­sa quin­ta-fei­ra (21), áudi­os nos quais Cid diz ter sido pres­si­o­na­do, em depoi­men­tos à PF, a dela­tar acon­te­ci­men­tos dos quais não tinha conhe­ci­men­to ou “o que não acon­te­ceu”.

Nos áudi­os, Cid diz ain­da que a Pro­cu­ra­do­ria-Geral da Repú­bli­ca e o minis­tro Ale­xan­dre de Mora­es, rela­tor das inves­ti­ga­ções sobre o mili­tar no Supre­mo Tri­bu­nal Fede­ral (STF), têm uma “nar­ra­ti­va pron­ta” e esta­ri­am aguar­dan­do somen­te o momen­to cer­to de “pren­der todo mun­do”.

“O Ale­xan­dre de Mora­es já tem a sen­ten­ça dele pron­ta, acho que essa é que é a gran­de ver­da­de. Ele já tem a sen­ten­ça dele pron­ta. Só tá espe­ran­do pas­sar um tem­po. O momen­to que ele achar con­ve­ni­en­te, denun­cia todo mun­do, o PGR [pro­cu­ra­dor-geral da Repú­bli­ca] aca­ta, acei­ta e ele pren­de todo mun­do”, diz tre­cho dos áudi­os divul­ga­dos.

Defesa

Em comu­ni­ca­do, a defe­sa de Mau­ro Cid não negou a auten­ti­ci­da­de dos áudi­os e dis­se que as falas “não pas­sam de um desa­ba­fo em que rela­ta o difí­cil momen­to e a angús­tia pes­so­al, fami­li­ar e pro­fis­si­o­nal pelos quais está pas­san­do, advin­dos da inves­ti­ga­ção e dos efei­tos que ela pro­duz peran­te a soci­e­da­de, fami­li­a­res e cole­gas de far­da”.

A defe­sa ain­da nega que o mili­tar tenha cri­ti­ca­do a atu­a­ção de auto­ri­da­des nas inves­ti­ga­ções sobre ele, ou que as falas pos­sam ter algum impac­to sobre o acor­do de dela­ção pre­mi­a­da fecha­da entre o tenen­te-coro­nel e a Polí­cia Fede­ral.

“Mau­ro César Bar­bo­sa Cid em nenhum momen­to colo­ca em xeque a inde­pen­dên­cia, fun­ci­o­na­li­da­de e hones­ti­da­de da Polí­cia Fede­ral, da Pro­cu­ra­do­ria-Geral da Repú­bli­ca ou do Supre­mo Tri­bu­nal Fede­ral na con­du­ção dos inqué­ri­tos em que é inves­ti­ga­do e cola­bo­ra­dor, aliás, seus defen­so­res não subs­cre­vem o con­teú­do de seus áudi­os”, diz a nota da defe­sa.

Ex-aju­dan­te de ordens da Pre­si­dên­cia da Repú­bli­ca no gover­no de Jair Bol­so­na­ro, Mau­ro Cid fechou acor­do de cola­bo­ra­ção pre­mi­a­da após ter sido pre­so no âmbi­to do inqué­ri­to que apu­ra frau­des em cer­ti­fi­ca­dos de vaci­na­ção con­tra covid-19. De acor­do com a Veja, os áudi­os do mili­tar foram men­sa­gens envi­a­das a um cole­ga da far­da.

Nas gra­va­ções, Cid diz ain­da ter sido indu­zi­do a con­fir­mar infor­ma­ções espe­cí­fi­cas e a todo momen­to acu­sa­do de con­tar men­ti­ras e ame­a­ça­do de per­der os bene­fí­ci­os da dela­ção.

Além do caso refe­ren­te às vaci­nas, Cid coo­pe­rou tam­bém com o inqué­ri­to sobre uma ten­ta­ti­va de gol­pe de Esta­do que teria sido ela­bo­ra­da no alto esca­lão do gover­no Bol­so­na­ro.

No comu­ni­ca­do, a defe­sa diz tam­bém que os áudi­os “de for­ma algu­ma, com­pro­me­tem a lisu­ra, seri­e­da­de e cor­re­ção dos ter­mos de sua cola­bo­ra­ção pre­mi­a­da fir­ma­da peran­te a auto­ri­da­de poli­ci­al, na pre­sen­ça de seus defen­so­res cons­ti­tuí­dos e devi­da­men­te homo­lo­ga­da pelo Supre­mo Tri­bu­nal Fede­ral nos estri­tos ter­mos da lega­li­da­de”.

Edi­ção: Aécio Ama­do

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Moraes liberta coronéis da PMDF réus por omissão no 8 de janeiro

Repro­du­ção: © Antô­nio Cruz/ Agên­cia Brasil/Arquivo Eles usarão tornozeleira eletrônica e não podem utilizar redes …