...
terça-feira ,25 junho 2024
Home / Noticias / PF investiga tentativa de entrada de rede terrorista no Brasil

PF investiga tentativa de entrada de rede terrorista no Brasil

Repro­dução: © Tomaz Silva/Agência Brasil

Informação é do ministro Flávio Dino, que não detalhou a ação


Pub­li­ca­do em 08/11/2023 — 18:47 Por Cristi­na Indio do Brasil — Repórter da Agên­cia Brasil — Rio de Janeiro

ouvir:

A Polí­cia Fed­er­al está inves­ti­gan­do a hipótese de uma rede ter­ror­ista bus­car se insta­lar no Brasil. A infor­mação é do min­istro da Justiça e Segu­rança Públi­ca, Flávio Dino, que par­ticipou nes­ta quar­ta-feira (8), da cer­imô­nia de assi­natu­ra do Acor­do de Coop­er­ação Téc­ni­ca para a cri­ação do Comitê de Inteligên­cia Finan­ceira e Recu­per­ação de Ativos (Cifra).

A Oper­ação Trapiche foi deflagra­da hoje para inter­romper atos preparatórios de ter­ror­is­mo e obter provas de pos­sív­el recru­ta­men­to de brasileiros para atos extrem­is­tas no país. Segun­do a PF, foram cumpri­dos dois man­da­dos de prisão tem­porária e 11 man­da­dos de bus­ca e apreen­são nos esta­dos de Minas Gerais, São Paulo e no Dis­tri­to Fed­er­al.

“Vejam que é uma hipótese. A Polí­cia Fed­er­al está inves­ti­gan­do, mostran­do que neste caso, nós só temos um lado, que é o lado da lei, que é o lado dos com­pro­mis­sos inter­na­cionais que o Brasil assum­iu.

O min­istro reforçou que ain­da não há con­fir­mação, mas a inves­ti­gação mostra a seriedade do tra­bal­ho do gov­er­no fed­er­al para desar­tic­u­lar no Brasil even­tu­ais redes inter­na­cionais voltadas ao ter­ror­is­mo.

“Quan­do for pos­sív­el, com certeza, a Polí­cia Fed­er­al vai divul­gar os detal­h­es sobre isso”, asse­gurou.

Segurança nas escolas

Na ocasião, Flávio Dino tam­bém falou sobre as oper­ações para apu­rar a vio­lên­cia nas esco­las. De acor­do com o min­istro, as ações partem da pos­si­bil­i­dade de que atos vio­len­tos nas unidades esco­lares têm a ver com a pro­lif­er­ação dos dis­cur­sos de ódio, e não com a as nar­comilí­cias.

“Infe­liz­mente há quase sem­pre a local­iza­ção de artefatos ou livros que evo­cam o nazis­mo ou neon­azis­mo”, detal­ha. “Isso está mais rela­ciona­do com os abu­sos de platafor­mas dig­i­tais envol­ven­do ado­les­centes ou jovens adul­tos. Anteon­tem teve uma oper­ação em San­ta Catar­i­ana que esta­va vin­cu­la­da ao ataque que hou­ve em Sapopem­ba em São Paulo, mostran­do que é uma rede que ultra­pas­sa as divisas de cada esta­do.

O min­istro aproveitou o tema para divul­gar o site De Boa nas Redes, lança­do pelo Min­istério da Justiça. É um dicionário de como as famílias podem pro­te­ger cri­anças e ado­les­centes, exercendo mon­i­tora­men­to e pre­venção.

“Não sig­nifi­ca que o Esta­do se des­on­era das suas respon­s­abil­i­dades”, desta­cou o min­istro, acres­cen­tan­do que o Lab­o­ratório Con­tra Crimes Cibernéti­cos do Min­istério da Justiça está tra­bal­han­do em con­jun­to com os gov­er­nos estad­u­ais, nesse tipo de crime, cujo com­bate é pri­or­itário para o gov­er­no.

“Uma vez que nes­ta sem­ana já foram duas oper­ações em que hou­ve iden­ti­fi­cação de pos­sív­el plane­ja­men­to de ataques con­tra esco­las. Neste caso, é evi­dente que a ação pre­ven­ti­va é o cer­to. Ninguém vai esper­ar para ver, dada a alta lesi­bil­i­dade que acon­tece em uma creche ou uma esco­la, se uma pes­soa com armas bran­cas ou arma de fogo ingres­sar para per­pe­trar crimes”, disse o min­istro. Ele lem­brou que nes­ta quar­ta-feira hou­ve oper­ações da Polí­cia Fed­er­al e de polí­cias estad­u­ais para o cumpri­men­to de 11 man­da­dos de prisão, bus­ca e apreen­são con­tra gru­pos que ten­tam levar ideais nazis­tas e de vio­lên­cia aos jovens.

GLO

O min­istro tam­bém desta­cou o papel das Forças Armadas na Garan­tia de Lei e da Ordem (GLO) para atu­ar em áreas fed­erais con­tra o trá­fi­co de dro­gas. Dino saudou as Forças que, segun­do ele, estão fazen­do uma movi­men­tação bas­tante ráp­i­da, con­sideran­do que é uma mobi­liza­ção com­plexa.

“Com certeza os sen­hores já viram a pre­sença de efe­tivos da Mar­in­ha e da Aeronáu­ti­ca”, obser­vou. “Acred­i­ta­mos que a GLO fecha corre­dores logís­ti­cos”, disse o min­istro, acres­cen­tan­do que isso impli­ca desar­tic­u­lação das redes crim­i­nosas e aumen­to de cus­to da movi­men­tação das engrena­gens do crime.

Entre os resul­ta­dos obti­dos da GLO, que começou a atu­ar na segun­da-feira, Dino desta­ca a apreen­são de 1,6 tonela­da de cocaí­na no por­to de Vitória, no Espíri­to San­to.

Edição: Aline Leal

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

São Paulo tem o mês de junho mais seco em 29 anos

Repro­dução: © Rove­na Rosa/Agência Brasil Secura deve permanecer durante os próximos 15 dias Publicado em …