...
sexta-feira ,19 abril 2024
Home / Noticias / Policial civil denunciado por lavagem de dinheiro é preso no Rio

Policial civil denunciado por lavagem de dinheiro é preso no Rio

Repro­du­ção: © Divul­ga­ção/MP-RJ

Ele é acusado ainda de agiotagem e fraude em licitação


Publi­ca­do em 06/06/2022 — 09:57 Por Cris­ti­na Indio do Bra­sil — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Rio de Janei­ro

Um poli­ci­al civil foi pre­so hoje (6), duran­te ope­ra­ção do Gru­po de Atu­a­ção Espe­ci­a­li­za­da no Com­ba­te ao Cri­me Orga­ni­za­do Gae­co) do Minis­té­rio Públi­co do Esta­do do Rio de Janei­ro (MPRJ). O agen­te foi denun­ci­a­do pelos cri­mes de lava­gem de dinhei­ro, agi­o­ta­gem e frau­de em lici­ta­ção. Além da pri­são, a ope­ra­ção foi para as ruas a fim de cum­prir man­da­dos de bus­ca e apre­en­são em 11 ende­re­ços liga­dos ao poli­ci­al.

Se acor­do com a denún­cia do MPRJ, ele dis­si­mu­lou a uti­li­za­ção de bens e valo­res resul­tan­tes das infra­ções penais, adqui­riu, rece­beu, nego­ci­ou e trans­fe­riu a pro­pri­e­da­de de bens no muni­cí­pio de Bom Jesus do Ita­ba­po­a­na, no noro­es­te flu­mi­nen­se. Con­for­me o MP, ao lon­go das inves­ti­ga­ções, dili­gên­ci­as pre­li­mi­na­res fei­tas pelo Gru­po de Apoio aos Pro­mo­to­res mos­tra­ram que “o denun­ci­a­do era sócio de inú­me­ras empre­sas, tinha veí­cu­los luxu­o­sos e resi­dia em uma casa de alto padrão loca­li­za­da no Cen­tro de Bom Jesus do Ita­ba­po­a­na”

As apu­ra­ções mos­tra­ram ain­da que o poli­ci­al pra­ti­cou uma série de irre­gu­la­ri­da­des duran­te dez anos. “Todas vol­ta­das ao incre­men­to de seu patrimô­nio, incom­pa­tí­vel com os ganhos advin­dos da ati­vi­da­de de poli­ci­al civil”, dis­se o MP, acres­cen­tan­do que o agen­te ain­da “mani­pu­lou paren­tes e pes­so­as pró­xi­mas e se valeu de nego­ci­a­tas escu­sas. A mai­o­ria das empre­sas do poli­ci­al civil e de seus paren­tes era con­si­de­ra­da de facha­da”, com­ple­tou.

Nas con­ver­sas tra­va­das em inter­cep­ta­ção telefô­ni­ca auto­ri­za­da pela Jus­ti­ça fica­ram evi­den­tes outras ili­ci­tu­des. O MP infor­mou que nos áudi­os fica cla­ra a apro­xi­ma­ção do denun­ci­a­do com polí­ti­cos da região. Além dis­so, o poli­ci­al era gra­du­an­do em medi­ci­na na Uni­ver­si­da­de Nova Igua­çu (Unig), na Bai­xa­da Flu­mi­nen­se. No entan­to, para os pro­mo­to­res, havia apa­ren­te incom­pa­ti­bi­li­da­de geo­grá­fi­ca e tem­po­ral entre a gra­du­a­ção de medi­ci­na, de tur­no inte­gral, e o desem­pe­nho da ati­vi­da­de de poli­ci­al civil. “No ano de 2016, quan­do o denun­ci­a­do ini­ci­ou a facul­da­de em Ita­pe­ru­na, este­ve lota­do em Ital­va, Cam­pos dos Goy­ta­ca­zes e Bom Jesus do Ita­ba­po­a­na, muni­cí­pi­os dis­tan­tes da sede da Unig”.

Edi­ção: Gra­ça Adju­to

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Brasil deve recuperar 25 milhões de hectares de vegetação nativa

Repro­du­ção: © Symbiosis/ Divul­ga­ção Meta deve ser cumprida até 2030 Publicado em 15/04/2024 — 10:39 …