...
domingo ,16 junho 2024
Home / Animais, Aves, Peixes / Projeto vai reintroduzir guarás-vermelhos no Rio de Janeiro

Projeto vai reintroduzir guarás-vermelhos no Rio de Janeiro

Repro­du­ção: © Petr Kratochvi/Publicdomainpictu

Último avistamento de bandos no estado foi em 1952


Publi­ca­do em 27/08/2023 — 08:13 Por Vitor Abda­la — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Rio de Janei­ro

ouvir:

Uma vis­to­sa ave de colo­ra­ção ver­me­lha, que cha­ma a aten­ção por sua bele­za e que pos­si­vel­men­te desa­pa­re­ceu do Rio de Janei­ro, o gua­rá-ver­me­lho (Eudo­ci­mus ruber) vol­ta­rá a ser vis­ta, em bre­ve, voan­do pelos man­gue­zais do esta­do. Um pro­je­to do Ins­ti­tu­to Esta­du­al do Ambi­en­te (Inea) pre­vê a rein­tro­du­ção de ban­dos da espé­cie no esta­do.

A pre­vi­são é que os ani­mais sejam intro­du­zi­dos na Reser­va Bio­ló­gi­ca de Gua­ra­ti­ba, na zona oes­te da capi­tal flu­mi­nen­se, no iní­cio do ano que vem. O bair­ro onde fica a reser­va, aliás, deve seu nome à ave que, há anos, não é mais avis­ta­da por ali. Gua­ra­ti­ba, na lín­gua tupi, sig­ni­fi­ca “ajun­ta­men­to de gua­rás”.

“Esse pro­je­to deve come­çar no iní­cio do pró­xi­mo ano. Por cau­sa des­se esta­do de emer­gên­cia por con­ta da influ­en­za viá­ria, a gen­te pos­ter­gou um pou­qui­nho o iní­cio dele. Ela tem uma colo­ra­ção ver­me­lha por­que se ali­men­ta de caran­gue­jos. É uma espé­cie que é caris­má­ti­ca pela sua bele­za e tem uma fun­ção eco­ló­gi­ca tam­bém”, afir­ma o geren­te de Fau­na do Inea, Mar­ce­lo Cupel­lo.

Na últi­ma lis­ta de fau­na ame­a­ça­da do Rio, publi­ca­da em 1998, a ave apa­re­cia como “cri­ti­ca­men­te em peri­go” de extin­ção. Mas, segun­do Cupel­lo, a ave, que vive em ban­dos, está pro­va­vel­men­te extin­ta no esta­do.

Segun­do ele, o últi­mo avis­ta­men­to de ban­dos da espé­cie no esta­do do Rio foi fei­to em 1952, na Baía de Gua­na­ba­ra. Depois dis­so, foram fei­tos ape­nas regis­tros iso­la­dos em 1985, em Sepe­ti­ba, e em 1996, em Gua­ra­ti­ba.

“Esses ani­mais virão de zoo­ló­gi­cos e cri­a­tó­ri­os con­ser­va­ci­o­nis­tas, ou seja, pro­ve­ni­en­tes de cati­vei­ro, mas tam­bém tere­mos alguns vin­dos da natu­re­za. A ideia é sol­tar em tor­no de 80 ani­mais. Eles vão ser acom­pa­nha­dos e moni­to­ra­dos ao lon­go do perío­do do pro­je­to”, expli­ca.

As sol­tu­ras serão fei­tas em gru­pos, que, antes de serem libe­ra­dos na reser­va de Gua­ra­ti­ba, pas­sa­rão por um perío­do de adap­ta­ção. “Será uma sol­tu­ra bran­da. Eles fica­rão acli­ma­tan­do den­tro de um vivei­ro e vão se adap­tar com o ambi­en­te. A ideia é que a colô­nia come­ce a pros­pe­rar, a se repro­du­zir e a gen­te con­se­guir ter uma popu­la­ção em Gua­ra­ti­ba. Esses ani­mais aca­bam migran­do, então podem ir para outros luga­res do Rio tam­bém”.

Nova lista

Cupel­lo afir­mou que a Secre­ta­ria Esta­du­al do Ambi­en­te e o Inea estão pre­pa­ran­do uma atu­a­li­za­ção da lis­ta de espé­ci­es de ani­mais ame­a­ça­dos de extin­ção no esta­do. A auto­ri­za­ção para ini­ci­ar o levan­ta­men­to da fau­na esta­du­al e seu sta­tus de con­ser­va­ção no ter­ri­tó­rio flu­mi­nen­se foi rece­bi­da pela Secre­ta­ria este mês.

A lis­ta atu­al foi pro­du­zi­da há 15 anos, por uma equi­pe da Uni­ver­si­da­de do Esta­do do Rio de Janei­ro, e mos­trou a exis­tên­cia de 257 espé­ci­es em ris­co de desa­pa­re­cer da natu­re­za no esta­do.

Segun­do Mar­ce­lo Cupel­lo, a ideia é que a nova lis­ta seja con­cluí­da em até dois anos. “Den­tro des­se pro­je­to, está sen­do pre­vis­to tam­bém fomen­tar trei­na­men­tos e equi­pa­men­tos para as uni­da­des de con­ser­va­ção esta­du­ais e muni­ci­pais, para que a gen­te come­ce a gerar dados e não tenha uma per­da de infor­ma­ção. A ideia é que a gen­te con­si­ga atu­a­li­zar essa lis­ta em um tem­po menor”, expli­cou Cupe­lo.

As lis­tas de ame­a­ça da fau­na ser­vem, entre outras coi­sas, para dire­ci­o­nar ações de con­ser­va­ção para as espé­ci­es com mai­or ris­co. “A gen­te vai poder se pla­ne­jar e gerar polí­ti­cas que pos­sam tra­ba­lhar na con­ser­va­ção pri­o­ri­tá­ria des­sas espé­ci­es”, dis­se.

Edi­ção: Valé­ria Agui­ar

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Mais de um milhão de hectares serão protegidos na Caatinga

Repro­du­ção: © Gabri­el Car­va­lho/­Se­tur-BA Desertificação atinge 13% do semiárido brasileiro Publicado em 11/06/2024 — 09:35 …