...
sexta-feira ,1 março 2024
Home / Saúde / Saúde abre consulta pública sobre inclusão de vacina da dengue no SUS

Saúde abre consulta pública sobre inclusão de vacina da dengue no SUS

Repro­du­ção: © Fer­nan­do Frazão/Agência Bra­sil

Comissão nacional avalia imunizante Qdenga


Publi­ca­do em 07/12/2023 — 08:42 Por Pau­la Labois­siè­re — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Rio de Janei­ro

ouvir:

O Minis­té­rio da Saú­de abre nes­ta quin­ta-fei­ra (7) con­sul­ta públi­ca sobre a pro­pos­ta de incor­po­ra­ção ao Sis­te­ma Úni­co de Saú­de (SUS) da vaci­na con­tra a den­gue. De acor­do com a pas­ta, o imu­ni­zan­te Qden­ga já está em ava­li­a­ção pela Comis­são Naci­o­nal de Incor­po­ra­ções de Tec­no­lo­gi­as no Sis­te­ma Úni­co de Saú­de (Coni­tec).  

Em nota, a pas­ta infor­mou que, após reu­nião rea­li­za­da nes­sa quar­ta-fei­ra (6), con­si­de­ran­do o cená­rio epi­de­mi­o­ló­gi­co, a comis­são reco­men­dou a incor­po­ra­ção do imu­ni­zan­te ini­ci­al­men­te para loca­li­da­des e públi­cos pri­o­ri­tá­ri­os que serão defi­ni­dos pelo Pro­gra­ma Naci­o­nal de Imu­ni­za­ções.

A defi­ni­ção dos gru­pos e loca­li­da­des deve con­si­de­ra ain­da as regiões de mai­or inci­dên­cia e trans­mis­são da den­gue e as fai­xas etá­ri­as de mai­or ris­co para agra­va­men­to da doen­ça. A res­tri­ção de públi­co, segun­do o minis­té­rio, tam­bém leva em con­ta a capa­ci­da­de de for­ne­ci­men­to de doses por par­te da fabri­can­te.

A reco­men­da­ção de incor­po­ra­ção fei­ta pela Coni­tec está con­di­ci­o­na­da a uma pro­pos­ta de redu­ção de pre­ço pela fabri­can­te. Ape­sar do des­con­to ini­ci­al­men­te ofe­re­ci­do, o valor por dose, de R$ 170, ain­da é clas­si­fi­ca­do como alto pelo gover­no fede­ral. “Nes­se pre­ço, o valor é duas vezes mai­or que as vaci­nas mais caras incluí­das no pro­gra­ma”.

A deman­da para ava­li­a­ção da tec­no­lo­gia foi sub­me­ti­da pela empre­sa japo­ne­sa Take­da Phar­ma, fabri­can­te da Qden­ga. Nos dados ava­li­a­dos pela comis­são, foi veri­fi­ca­da efi­cá­cia geral na redu­ção da hos­pi­ta­li­za­ção em 84% dos casos de den­gue.

“Para pro­por uma estra­té­gia naci­o­nal, o Minis­té­rio da Saú­de ques­ti­o­nou o quan­ti­ta­ti­vo de doses que pode­ria ser for­ne­ci­do ao SUS. De acor­do com o labo­ra­tó­rio, pode­rão ser entre­gues 8,5 milhões no pri­mei­ro ano e um total acu­mu­la­do de 50 milhões em cin­co anos, o que impõe res­tri­ções no públi­co a ser aten­di­do.”

Consulta pública

Todas as reco­men­da­ções de incor­po­ra­ção de medi­ca­men­tos e insu­mos fei­tas pela Coni­tec são sub­me­ti­das à con­sul­ta públi­ca por um perío­do de 20 dias. A pas­ta des­ta­cou, entre­tan­to, que, con­si­de­ran­do a pro­je­ção epi­de­mi­o­ló­gi­ca para o pró­xi­mo verão, com a pos­si­bi­li­da­de de aumen­to de casos de den­gue, a con­sul­ta fica­rá aber­ta pelo pra­zo de 10 dias.

“Depois des­se perío­do, as suges­tões serão orga­ni­za­das e ava­li­a­das pela comis­são, que emi­ti­rá uma reco­men­da­ção final.” Uma vez incor­po­ra­da, a vaci­na Qden­ga deve ser admi­nis­tra­da em esque­ma de duas doses, com inter­va­lo de três meses.

 

Edi­ção: Gra­ça Adju­to

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Mortes por dengue chegam a 113 no país; 438 óbitos são investigados

Repro­du­ção: © Fabio Rodri­gues-Poz­ze­bom/ Agên­cia Bra­sil Dados foram atualizados nesta segunda-feira pelo Ministério da Saúde …