...
sábado ,15 junho 2024
Home / Noticias / Sebrae lança programa para ajudar empresas vítimas da enchente no RS

Sebrae lança programa para ajudar empresas vítimas da enchente no RS

Repro­du­ção: © Rafa Neddermeyer/Agência Bra­sil

Instituição prestará consultoria e financiará pequenos custos


Publicado em 02/06/2024 — 18:25 Por Alana Gandra — Repórter da Agência Brasil — Rio de Janeiro

O Ser­vi­ço de Apoio às Micro e Peque­nas Empre­sas do Rio Gran­de do Sul (Sebrae RS) vai aju­dar micro e peque­nos empre­en­di­men­tos atin­gi­dos pela recen­te catás­tro­fe cli­má­ti­ca atra­vés do pro­gra­ma Sebra­e­tec Supe­ra, que já atu­ou nas enchen­tes de setem­bro do ano pas­sa­do. “Ele visa aten­der as empre­sas que foram dire­ta­men­te afe­ta­das: os micro­em­pre­en­de­do­res indi­vi­du­ais (MEIs), as micro empre­sas e as empre­sas de peque­no por­te”, dis­se, nes­te domin­go (2), à Agên­cia Bra­sil o pre­si­den­te do Con­se­lho Deli­be­ra­ti­vo Esta­du­al do Sebrae RS, Luiz Car­los Bohn.

O pro­gra­ma foi apli­ca­do no Vale do Taqua­ri, em setem­bro de 2023 e, ago­ra, foi ampli­a­do por con­ta do tama­nho da des­trui­ção que acon­te­ceu, afir­mou Bohn. Em média, os peque­nos empre­en­di­men­tos tive­ram pre­juí­zo de até R$ 50 mil. “Já temos mais de 20 mil res­pos­tas à pes­qui­sa fei­ta e o Sebrae RS ela­bo­rou esse tra­ba­lho. Rema­ne­ja­mos nos­so orça­men­to no Rio Gran­de do Sul, com liber­da­de do Sebrae Naci­o­nal, para diri­gir todos os recur­sos dis­po­ní­veis para esse pro­gra­ma”.

Cadastramento

As empre­sas devem se cadas­trar pelo site do pro­gra­ma, onde mani­fes­tam suas neces­si­da­des. “Todo o nos­so pes­so­al do Sebrae RS está em cam­po para pro­cu­rar fisi­ca­men­te as empre­sas. Mui­ta coi­sa será de manei­ra ‘onli­ne’”, des­ta­cou Bohn. A con­sul­to­ria do Sebrae RS rea­va­lia a situ­a­ção, faz um pla­no de ação de reco­me­ço das ati­vi­da­des e dis­po­ni­bi­li­za recur­sos para os micro e peque­nos empre­en­di­men­tos. Os recur­sos serão a fun­do per­di­do, ou seja, não reem­bol­sá­veis, o que sig­ni­fi­ca que não pre­ci­sa­rão ser devol­vi­dos. “Não have­rá nenhu­ma dívi­da”, garan­tiu o pre­si­den­te do Con­se­lho.

Os empre­en­di­men­tos bene­fi­ci­a­dos rece­be­rão ava­li­a­ção e con­sul­to­ria do Sebrae RS e reem­bol­so de até R$ 15 mil sobre os cus­tos com repa­ros, manu­ten­ção ou repo­si­ção de equi­pa­men­tos e mobi­liá­rio afe­ta­dos pelos ala­ga­men­tos. O reem­bol­so será por por­te. Micro­em­pre­en­de­dor indi­vi­du­al (MEI) pode­rá rece­ber até R$ 3 mil, micro­em­pre­sa até R$ 10 mil e empre­sa de peque­no por­te até R$ 15 mil. Luiz Car­los Bohn dis­se que valor seme­lhan­te pode­rá ser obti­do pelos inte­res­sa­dos jun­to aos par­cei­ros do Sebrae RS, que são a Cai­xa Econô­mi­ca Fede­ral, o Ban­co do Bra­sil e coo­pe­ra­ti­vas de cré­di­to.

SINIMBU, RS, BRASIL, 03.05.2024 - Trabalho de limpeza na região de Sinumbu, devido aos estragos causados pela forte chuva no estado do Rio Grande do Sul. Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini
Repro­du­ção: Em média, os peque­nos empre­en­di­men­tos gaú­chos tive­ram pre­juí­zo de até R$ 50 mil com as chu­vas de maio. Foto: Gus­ta­vo Mansur/Palácio Pira­ti­ni

Comprovação

As micro e peque­nas empre­sas e MEIs deve­rão com­pro­var a loca­li­za­ção nas regiões afe­ta­das, for­mu­lar o pla­no de reto­ma­da e, em segui­da, adqui­rir mer­ca­do­ri­as, esto­que, equi­pa­men­tos, móveis ou uten­sí­li­os que pre­ci­sam para seu fun­ci­o­na­men­to. “A mai­o­ria vai rece­ber isso reem­bol­sa­do no máxi­mo em 45 dias”. Em caso de não haver pos­si­bi­li­da­de de repa­ro, os itens adqui­ri­dos deve­rão ser iguais ou simi­la­res àque­les subs­ti­tuí­dos. Não são ele­gí­veis para reem­bol­so itens cober­tos por segu­ros ou obti­dos por doa­ção.

Levan­ta­men­to já efe­tu­a­do mos­tra a exis­tên­cia de cer­ca de 1,5 milhão de peque­nos negó­ci­os entre micro­em­pre­sas, MEIs e peque­nas empre­sas no esta­do. O Sebrae RS esti­ma que, des­se total, 600 mil foram afe­ta­dos pela catás­tro­fe cli­má­ti­ca. “Em que grau a gen­te não sabe, mas 66 mil foram mui­to afe­ta­dos. E a gen­te pode­rá aten­der entre 10 mil a 15 mil com os recur­sos que tem. É o que a gen­te pode fazer”.

Assessoria

O Sebrae RS está pro­mo­ven­do tam­bém a Asses­so­ria de Negó­ci­os, pro­du­to base­a­do na meto­do­lo­gia de pro­gra­ma da ‘Small Busi­ness Admi­nis­tra­ti­on’ (SBA), dos Esta­dos Uni­dos. Esse pro­gra­ma estru­tu­ra cen­tros de desen­vol­vi­men­to de peque­nas empre­sas por todo o país, ofe­re­cen­do trei­na­men­to, asses­so­ria indi­vi­du­al e solu­ções para o desen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel e de lon­go pra­zo dos negó­ci­os. De for­ma seme­lhan­te ao Sebrae, esses cen­tros uti­li­zam métri­cas econô­mi­cas estra­té­gi­cas para ori­en­tar suas ações.

Bohn escla­re­ceu que o peque­no empre­en­de­dor pre­ci­sa fazer uma con­ver­sa ‘onli­ne’ ou pre­sen­ci­al para rees­tru­tu­rar seu negó­cio, de modo a dire­ci­o­nar bem o recur­so. Ele faz um pre­pa­ro de ges­tão e, depois, pode se tor­nar cli­en­te do Sebrae. Tem essa fina­li­da­de tam­bém”. Com apoio do Sebrae, o prin­ci­pal obje­ti­vo da Asses­so­ria de Negó­ci­os é garan­tir que as peque­nas empre­sas afe­ta­das pelas enchen­tes pos­sam se recons­truir e sobre­vi­ver, man­ten­do sua ope­ra­ção, pre­ser­van­do empre­gos e aumen­tan­do o fatu­ra­men­to. As empre­sas aten­di­das serão orga­ni­za­das con­for­me a região e a situ­a­ção atu­al de sobre­vi­vên­cia, recons­tru­ção ou emer­gên­cia.

Edi­ção: Mar­ce­lo Bran­dão

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Mocidade amplia fronteiras e leva samba carioca para Londres

Repro­du­ção: © Foto: Mar­co Ter­ra­no­va | Rio­tur Intercâmbio inclui também dicas de como buscar recursos …