...
quarta-feira ,17 abril 2024
Home / Justiça / TSE encerra primeiro dia de julgamento de ação contra Bolsonaro

TSE encerra primeiro dia de julgamento de ação contra Bolsonaro

Repro­du­ção: © Mar­ce­lo Camargo/Agência Bra­sil

Ação envolve encontro com embaixadores para atacar sistema de votação


Publi­ca­do em 22/06/2023 — 13:11 Por André Luiz Rich­ter — Repór­ter da Agên­cia Bra­sil — Bra­sí­lia

ouvir:

O Tri­bu­nal Supe­ri­or Elei­to­ral (TSE) encer­rou o pri­mei­ro dia do jul­ga­men­to do pro­ces­so aber­to con­tra o ex-pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro após a reu­nião com embai­xa­do­res, rea­li­za­da em julho do ano pas­sa­do, no Palá­cio da Alvo­ra­da, para ata­car o sis­te­ma ele­trô­ni­co de vota­ção

A aná­li­se do caso come­çou de manhã, mas foi sus­pen­sa após as sus­ten­ta­ções dos advo­ga­dos do PDT, par­ti­do autor da ação, da defe­sa de Bol­so­na­ro e do Minis­té­rio Públi­co Elei­to­ral (MPE).

O jul­ga­men­to será reto­ma­do na ter­ça-fei­ra (27), quan­do o voto do rela­tor, minis­tro Bene­di­to Gon­çal­ves será pro­fe­ri­do. Se for con­de­na­do, Bol­so­na­ro fica­rá ine­le­gí­vel por oito anos e não pode­rá dis­pu­tar as pró­xi­mas elei­ções.

Sessão

A mai­or par­te da ses­são foi toma­da pela lei­tu­ra do rela­tó­rio, docu­men­to que resu­me todas as eta­pas per­cor­ri­das pelo pro­ces­so.

Duran­te duas horas, Bene­di­to Gon­çal­ves lem­brou o anda­men­to da ação e dis­se que foram ana­li­sa­dos 682 docu­men­tos.

O minis­tro citou as acu­sa­ções sobre o supos­to uso inde­vi­do da máqui­na públi­ca por trans­mi­tir a reu­nião pela TV Bra­sil, emis­so­ra públi­ca da Empre­sa Bra­sil de Comu­ni­ca­ção (EBC), e rea­li­zá-la no Palá­cio da Alvo­ra­da.

Gon­çal­ves citou outros indí­ci­os con­tra Bol­so­na­ro, como a apre­en­são da “minu­ta do gol­pe” na casa do ex-minis­tro da Jus­ti­ça Ander­son Tor­res. O ras­cu­nho pre­via decre­ta­ção de Esta­do de Defe­sa no TSE para con­tes­tar a vitó­ria de Lula nas elei­ções de 2022.

Em segui­da, o PDT e o Minis­té­rio Públi­co Elei­to­ral (MPE) pedi­ram a con­de­na­ção de Bol­so­na­ro e a decre­ta­ção da ine­le­gi­bi­li­da­de

Defesa

Duran­te a ses­são, a defe­sa de Bol­so­na­ro defen­deu a rejei­ção da ação con­tra o ex-pre­si­den­te.

Duran­te sus­ten­ta­ção, o advo­ga­do Tar­cí­sio Viei­ra de Car­va­lho dis­se que a reu­nião ocor­reu antes do perío­do elei­to­ral, em 18 de julho, quan­do Bol­so­na­ro não era can­di­da­to ofi­ci­al às elei­ções de 2022.

O defen­sor tam­bém decla­rou que a reu­nião não teve viés elei­to­ral e foi fei­ta como “con­tra­pon­to ins­ti­tu­ci­o­nal”, além de recha­çar qual­quer “ten­ta­ti­va de gol­pe” devi­do à inclu­são da “minu­ta do gol­pe” no pro­ces­so.

Edi­ção: Gra­ça Adju­to

LOGO AG BRASIL

Você pode Gostar de:

Lula sanciona, com veto, projeto que proíbe saidinha de presos

Repro­du­ção: © Anto­nio Cruz/Agência Bra­sil Presidente manteve visita de preso do semiaberto a parentes Publicado …